jogos é esporte

Capa do Álbum: jogos é esporte
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
jogos é esporte
Ícone seta para a esquerdaVeja todas as Notícias.

Jordânia diz que hospital de Gaza foi seriamente danificado por bombardeio israelense nas proximidades

Placeholder - loading - Ataque israelense em Rafah 17/1/2024 REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa
Ataque israelense em Rafah 17/1/2024 REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa

Publicada em  

Atualizada em  

Por Arafat Barbakh e Tyrone Siu e Nidal al-Mughrabi

GAZA/FRONTEIRA ISRAEL-GAZA/DOHA (Reuters) - Israel intensificou seu ataque a Khan Younis, no sul de Gaza, nesta quarta-feira, empurrando os tanques para oeste e provocando acusações da Jordânia de que hospital de campanha na cidade foi seriamente danificado por bombardeios próximos.

O Exército jordaniano disse que considerava Israel responsável por uma 'violação flagrante da lei internacional' pelo que, segundo ele, foi o dano à instalação como resultado do bombardeio israelense nas proximidades. Não houve comentário imediato dos militares israelenses.

As pessoas que se encontravam em outro hospital, o Nasser, e nos arredores, fugiram quando os tanques se aproximaram do distrito durante a noite, após uma declaração do Exército israelense de que a área estava sob fogo. Os militantes do Hamas negam usar instalações de saúde para operações militares.

Autoridades de saúde palestinas disseram que sete pessoas foram mortas por ataques aéreos israelenses que danificaram casas próximas ao hospital.

Muitos dos funcionários do hospital Nasser partiram para abrigos mais ao sul, restando apenas um médico para mais de 100 vítimas de queimaduras, disse Sean Casey, coordenador das equipes médicas de emergência da Organização Mundial da Saúde em Gaza, em 9 de janeiro.

Apenas cerca de um terço dos hospitais de Gaza continua funcionando, e alguns apenas parcialmente.

Explosões de bombardeios e ataques aéreos soaram mais a oeste em Khan Younis, à medida que os tanques israelenses avançavam, com linhas de fumaça preta espessa saindo dos locais de bombardeio. Testemunhas disseram que tanques e escavadeiras danificaram um cemitério antes de se retirarem novamente para o centro da cidade.

Israel disse ter matado seis combatentes palestinos, incluindo a autoridade do Hamas do distrito sul, encarregada de interrogar suspeitos de espionagem.

Os militares disseram que a morte do oficial de contraespionagem Bilal Nofal 'afeta significativamente a capacidade da organização terrorista de desenvolver e aprimorar suas capacidades' em uma declaração que resume suas últimas operações.

Mais ao sul, em Rafah, para onde centenas de milhares de pessoas se mudaram por recomendação israelense, as pessoas choravam sobre vários corpos envoltos em mortalhas, inclusive o de uma menina, Masa.

'Estávamos dormindo e então vimos os mísseis caindo sobre nós. Nós nos levantamos e não conseguíamos ver nada. Começamos a checar uns aos outros. A menina foi martirizada', disse sua tia, Tahreer Shoman, acrescentando que os irmãos haviam sido feridos, mas sobreviveram.

As forças israelenses abriram caminho até o centro de Khan Younis há mais de um mês e o ministro da Defesa, Yoav Gallant, disse na segunda-feira que as operações militares intensas no sul estavam chegando ao fim, semanas depois de declarações semelhantes sobre o norte de Gaza.

No entanto, os combates continuaram em Jabalia, no norte de Gaza, densamente povoada, na quarta-feira, um dia depois que os tanques israelenses voltaram a invadir partes do norte que haviam deixado na semana passada.

Israel anunciou que estava reduzindo suas operações no norte de Gaza no início de janeiro, como parte do que disse que seria uma abordagem mais direcionada em sua guerra contra os militantes do Hamas, após operações que arrasaram bairros residenciais inteiros.

As comunicações caíram em Gaza na quarta-feira pelo sexto dia, deixando seus habitantes palestinos, a maioria dos quais foi forçada a fugir várias vezes, incapazes de receber avisos nas mídias sociais sobre o movimento das forças israelenses.

Autoridades de saúde palestinas disseram que 163 habitantes de Gaza foram mortos nas últimas 24 horas, elevando o número de mortos para 24.448 na guerra de Israel em Gaza, agora em seu quarto mês.

Israel informou que mais dois soldados foram mortos, elevando o número de mortos desde o início das operações terrestres em Gaza para 193.

Israel afirma ter matado 9.000 militantes do Hamas e prometeu 'eliminar' os representantes do Hamas no enclave palestino depois que homens armados invadiram o sul de Israel e mataram 1.200 pessoas e capturaram 240 reféns, de acordo com os registros israelenses.

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

  1. Home
  2. noticias
  3. jordania diz que hospital de …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.

jogos é esporte Mapa do site